Ir para o conteúdo
ou

Thin logo

Debian Brasil

Divulgação

MiniDebConf

Latinoware 2016

Fotos no FISL17

Fotos na CPBR9

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

blog

7 de Dezembro de 2009, 0:00 , por Vicente Aguiar - | 3 pessoas seguindo este artigo.

vim - quebra de linha

18 de Junho de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda



http://www.vim.org/
http://www.vim.org/
Todo arquivo texto tem um delimitador de linha e neste delimitador, o editor vim pode trabalhar fazendo coisas que outros editores de textos nem sonham, como por exemplo, aplicar uma quebra de linha ou uma substituição por outro caracter.


Quero mostrar dois exemplos, o primeiro exemplifica uma quebra de linha e o segundo exemplifica quebras de linha um pouco mais sofisticada:

Primeiro exemplo:

%s/$/\r/

Neste exemplo, o vim procura pelo delimitador de linha $ e então para cada linha executa um return. A substituição é global, note o %s que precede o comando. Se a intenção é aplicar em um bloco de texto, por exemplo, nas linhas 10 a 20, o comando ficaria assim: 10,20s/$/\r/.



Segundo Exemplo:
%s/,/,\r/g


Neste exemplo, o vim procura pelo padrão indicado e procede as substituições. Podemos aplicar esta substituição, por exemplo, quando temos um arquivo e desejamos alterar seu formato de apresentação dos dados.


Imagine um arquivo onde os dados estão no seguinte formato:
1,2,10,20,30,40,n
e queremos que que fique assim:
1,
2,
10,
20,
30,
40,
n
Portanto, a forma mais simples de fazer isso no vim é com o comando %s/,/,\r/g





IV Fórum de Tecnologia em Software Livre - Curitiba

15 de Junho de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Nos dias 23 e 24 de Julho de 2012, acontecerá em Curitiba o IV Fórum de Tecnologia em Software Livre [1], apresentando para a comunidade soluções sustentáveis com tecnologias abertas. Juntamente com a realização do IV Fórum, o C3SL [2] comemora 10 anos de trabalhos de pesquisa voltados para a inclusão digital.

Sobre o Fórum:
Terá minicursos, oficinas,  workshops, painéis e palestras proferidas por convidados de grande renome na área tecnológica, todos com inscrição gratuita.Ótima oportunidade para conhecer novas ferramentas e melhorar seu netwoking com pessoas da área de Software Livre.

Objetivos:


  • Demonstrar a qualidade e o crescimento regional na área tecnológica;
  • Incluir a cidade de Curitiba no calendário nacional de eventos de Software Livre;
  • Promover e estimular o compartilhamento de experiências entre comunidades de Software Livre e empresariado visando maior integração entre as partes;
  • Promover o uso e o desenvolvimento de software livre e de código aberto como alternativa econômica a pequenos, médias e grandes empresas, sobre as tradicionais soluções proprietárias de custos de licença elevados;
  • Estimular o desenvolvimento de tecnologia local com o uso do software livre, seja no campo empresarial, junto à  administração pública ou ainda no âmbito acadêmico e comunitário;
  • Oferecer aos participantes um momento de socialização envolvendo a temática do evento.


Inscrição:

Referências:



Dicas de uso e instalação do Dokuwiki

8 de Junho de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda


Se você é do tipo de pessoa que espera as melhores e mais fabulosas ferramentas para começar a colocar suas idéias em prática, saiba que está fazendo isso errado. Sair da inércia é a pedra no sapato de muitas pessoas que procuram sempre o modelo de perfeição e deixa de fazer o básico. Quero dizer que muitas ferramentas são muito simples de configurar e usar, precisando somente de uma mente que possa idealizar sua implementação e dar os passos iniciais. A exemplo disso, pense na quantidade de informações que correm pelos processos de uma empresa, escritório ou escola. Da mesma forma, as documentações de um sistema ou tutoriais da área de informática e seus processos. E os trabalhos colaborativos em uma intranet?

A dica aqui é a utilização do dokuwiki[1], um wiki perfeito para as atividades citadas acima sem se limitar a isso. Escrito em php, disponível para  diversas distribuições GNU/Linux e o que é melhor, disponivel no repositório Debian. Um wiki para iniciantes ou profissionais permitindo uma curva de aprendizado para aqueles do primeiro caso de forma gradual. Quer usar outros wiki? veja a lista: aptitude search wiki

O dokuwiki possui uma sintaxe simples, além de templates que lhe confere até mesmo um status de site web, ou ainda ferramenta para blog. Após instalado, a maioria das configurações podem ser feitas unicamente via browser, com raras exceções via linha de comando para o caso de ajustes em colunas, ou cores por exemplo ou backup dos dados, que são simplificados já que o dokuwiki guarda tudo em txt.

Instalação:

Considero aqui uma instalação do Debian Squeeze. Confira  se o dokuwiki aparece no seu repositório pelo comando aptitude search dokuwiki

aptitude search dokuwiki
aptitude search dokuwiki

Agora, instale o dokuwiki com o comando aptitude install dokuwiki. Dependendo de sua instalação, as dependências são sugeridas e instaladas, como o Apache e Php, simples assim:
aptitude install dokuwiki
aptitude install dokuwiki
Dependendo de sua conexão internet, em alguns minutos a instalação será finalizada e a configuração automática do servidor web (apache ou lighttpd) será iniciada, bastando somente indicar qual servidor http  é o preferido para o seu servidor.  A instalação para o apache é mais comum, mas você pode escolher outro de sua preferência. Aqui, considero o Apache, portanto, na tela seguinte da configuração de pacotes, confirme a sugestão do sistema:


configurando o servidor 
Na próxima tela, escolha a opção Não remover pacotes:


E escolha a senha para o administrador, confirmando para que o instalador finalize a instalação e configuração do seu dokuwiki.
Finalizada a instalação, seu dokuwiki já pode ser acessado via browser, por exemplo, apontando para o ip do seu servidor via rede, ou via localhost (não recomendável, a não ser que esteja testando a instalação no seu desktop).

  • É preciso mencionar que o diretório raiz do dokuwiki sob o Debian fica em /usr/share/dokuwiki
  • E o diretório de dados ficam em /var/lib/dokuwiki/data
  • Arquivos de configuração ficam em /etc/dokuwiki
Ajuste as permissões para os arquivos de configuração: 

#chown -R www-data /etc/dokuwiki/
#chown -R www-data /usr/share/dokuwiki/lib/




Acessando via localhost/dokuwiki:


Conclusão:
Apartir deste momento, autentique-se no seu sistema de wiki e aproveite. Antes de colocar em produção, lembre-se de investir um tempo em escolher novos plug-ins, aprender alguns truques, pensar em um bom backup e mão na massa.  [3]

Referências:
[1] http://www.dokuwiki.org/
[2] http://www.dokuwiki.org/features
[3] http://www.dokuwiki.org/dokuwiki
     http://www.dokuwiki.org/install:debian
   



Lista de Discussões do Debian Amazonas (Debian-AM)

29 de Maio de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A Lista de Discussões do Grupo de Usuários Debian do Amazonas – Debian-AM[0] -, bem como várias outras, era hospedada em servidores do CIPSGA[1]. Esses servidores, pelo o que eu soube, foram desativados, o que fez com que as listas fossem, também, desativadas.

Soube desse fato através de um post feito por Antônio Terceiro[2], informando que as Listas seriam recriadas na infraestrutura do Debian, mas para que essas fossem recriadas seria necessário abrir um ticket na Alioth[3], na seção Support Request do Projeto Debian Brasil[3].

Sendo assim, a Lista de Discussões do Debian-AM foi recriada e é aberta a todos que se tiverem interesse em se inscrever. Para fazê-lo, basta acessar o endereço: http://lists.alioth.debian.org/mailman/listinfo/debian-br-gud-am

Links:
[0] http://www.debian.org/users/org/cipsga.pt.html
[1] http://wiki.debianbrasil.org/GUD/AM/
[2] http://softwarelivre.org/terceiro/blog/chamada-de-grupos-de-usuarios-debian-no-brasil
[3] http://alioth.debian.org/tracker/?group_id=30064



Lista de Discussões do Debian Amazonas (Debian-AM)

29 de Maio de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

A Lista de Discussões do Grupo de Usuários Debian do Amazonas – Debian-AM[0] -, bem como várias outras, era hospedada em servidores do CIPSGA[1]. Esses servidores, pelo o que eu soube, foram desativados, o que fez com que as listas fossem, também, desativadas.

Soube desse fato através de um post feito por Antônio Terceiro[2], informando que as Listas seriam recriadas na infraestrutura do Debian, mas para que essas fossem recriadas seria necessário abrir um ticket na Alioth[3], na seção Support Request do Projeto Debian Brasil[3].

Sendo assim, a Lista de Discussões do Debian-AM foi recriada e é aberta a todos que se tiverem interesse em se inscrever. Para fazê-lo, basta acessar o endereço: http://lists.alioth.debian.org/mailman/listinfo/debian-br-gud-am

Links:
[0] http://www.debian.org/users/org/cipsga.pt.html
[1] http://wiki.debianbrasil.org/GUD/AM/
[2] http://softwarelivre.org/terceiro/blog/chamada-de-grupos-de-usuarios-debian-no-brasil
[3] http://alioth.debian.org/tracker/?group_id=30064



Guia Ilustrado Demandas Legais no Desenvolvimento de Sofware

27 de Maio de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Infelizmente, questões legais e software não costumam andar próximas quando se fala em desenvolvimento ou em desenvolvedores. Em outras palavras, os desenvolvedores na maioria das vezes (e outras pessoas dentro do processo de desenvolvimento) não costumam prestar atenção nos detalhes … Continuar lendo



Rota dos Tropeiros Livres - http://site.tropeiroslivres.com.br/

27 de Maio de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

http://site.tropeiroslivres.com.br/
http://site.tropeiroslivres.com.br/


Acontecerá no próximo dia 02/06/2012, a primeira edição do Rota dos Tropeiros Livres em Pirai do Sul. O evento tem entrada franca com emissão de certificados como créditos de 10 horas para instituições de ensino (necessário inscrição antecipada). A Comunidade Software Livre Rota dos Tropeiros idealizou este envento durante o flisol de 2010 e nesta primeira edição, tráz palestrantes de renome internacional [1].
Tropeiros forão importantes para a desbravação do Sul, trazendo o comércio e o desenvolvimento para todas as regiões por onde passavam. O movimento dos tropeiros aconteceu até 1930 fazendo a ligação entre o sul e o sudeste do Brasil.  Assim o nome ao evento é uma homenagem ao movimento dos Tropeiros em analogia com a busca pela liberdade e conhecimento livre [2].

Palestrantes:

Dr. Richard  Stallman - Presidente Free Software Foundation / USA
Marcos Siríaco Martins - Itaipu Binacional / Foz do Iguaçu - PR
Alexandre Oliva - Red Hat / Free Software Foundation Latin America / CAmpinas - SP
Marcos Dellazari - Itaipu Binacional / Foz do Iguaçu - PR
Carlos Eduardo Pedroza Santiviago  - Itaipu Binacional / Foz do Iguaçu - PR
Alberto J. Azevedo - Security Experts / Soulivre / Pinhais - PR
Sandro Wambier - INEC Castro-PR / FAFIT Itararé-SP / Ponta Grossa-PR
Barbara Tostes - Jornalista / Especialista em EaD / Castro - PR
Silvio Palmieri - PMPS / openSUSE Member / Soulivre / Piraí do Sul - PR
Daniel Lara - OxyTI / TcheLinux  / Porto Alegre - RS
Paulo Kretcheu - Instrutor Oficial Ubuntu / São Pailo - SP
Fábio Berbert de Paula - Viva o Linux / Niteroi - RJ
Luciano Lourenço - Artista Gráfico / associado ha APBA (Associação Paulista de Belas Artes) / Inkscape Brasil / São Paulo -SP
Antonio C. C. Marques - Professor da Rede Publica Estadual de Educação do Paraná  / Curitiba - Pr
Felipe Garcia - Triat Tecnologia / Brasilia - DF
Andre Noel - Vida de Programador / Maringa - PR

Inscrições:

Equipe:
Coordenação Geral
Silvio Palmieri
silvio@soulivre.net
42 9960-3108

GT – PMPS
Márcio Fernandes Lima
Valmara Martins Machado
Paulo Capille Fernandes
Daniele Santini
Mauro Oliveira

GT – Comunicação
Andressa Fankin
Barbara Tostes

GT – Comunidade
Diego Moreira

GT – Infraestrutura/Operacional
Wille Barbosa

GT - Universidades / Faculdades
Sandro Wambier 

Referências:
[1] http://site.tropeiroslivres.com.br/
[2] Silvio Palmieri  (por telefone)
Facebook Rota dos Tropeiros Livres



vim - salto para uma posição no texto #dica #vim

24 de Maio de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda



Ferramenta preferida pelos sysadmins, o editor de textos vi (vim) está presente em todos os sistemas operacionais modernos, tais como Unix/Linux/BSD. É um "canivete suiço" para edição de todo tipo de texto plano.

A dica de hoje é para saltar (movimentar) dentro de  um arquivo texto com muitas colunas, como por exemplo, um layout com  400 colunas e centenas de linhas. A habilidade aqui não se resume em utilizar as teclas de movimentação, isto seria demorado.

Tomemos um arquivo qualquer, aqui vou usar o CB001.REM que tem exatamente as característica acima, com 1335 linhas. Ao abrir o arquivo pelo vim tenho a seguinte visualização no vim:
vim
vim com arquivo texto aberto
A visualização do arquivo neste momento não mostra linha a linha, sendo que existe uma quebra para ajustar os dados para a visualização. O primeiro passo importante seria não quebrar a linha. Para isso use o comando "set nowrap" no modo comando do vim. Feito isso, para ter uma noção da quantidade de linhas que contém o arquivo, use o comando "set nu" ou "set number", também no modo comando do vim. Com isto teremos a seguinte visualização:

vim
vim com "set number" e "set nowrap"
set nu mostra a numeração das linhas
set nowrap mostra linha por linha dentro do arquivo, independente do número de colunas;

Finalmente, para você saltar ou movimentar-se para uma coluna qualquer no arquivo, utilize o comando " | coluna | ". Não precisa estar no modo comando. Então, após pressionar "esc" , vamos pular da posição atual (você vê o cursor e a indicação no vim) para a posição 350, assim:
esc
|350|

Ao pressionar o primeiro pipe (|) o vim entende que precisa aguardar uma posição. Após digitado a posição seguida de outro pipe (|), o vim entende que finalizamos o comando e leva o cursor na posição desejada do buffer, como na imagem abaixo:

vim |col|
vim após |350|
Outros comandos relacionados:
ir para uma linha: no modo comando :10 vai para a linha 10
ir para o final do texto: no modo comando :$ vai para o final do texto
ir para o final da linha: fora do modo comando $ vai para o final da linha atual
ir para a primeira linha: no modo comando :1 vai para primeira linha

Para entrar no modo comando, pressione "esc" seguido de :

Ajudou ou teve dúvidas considere comentar!




Aumentando o tamanho do HD no VirtualBox 4

22 de Maio de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda

Situação

Temos um GNU/Linux com VirtualBox 4 instalado e uma máquina virtual com HD de 30 GB. O HD ficou pequeno e necessitamos aumentar o mesmo para 60 GB.

Procedimentos

  • Inicialmente, como usuário comum, vá para o diretório que contém o disco da máquina virtual. Geralmente é o ~/.VirtualBox/VDI. Lá você poderá ver os todos os discos virtuais. Exemplo:
eriberto@libra:~/.VirtualBox/VDI$ ls -lh

-rw------- 1 eriberto eriberto 577M Mai 18 19:32 Debian Squeeze Install.vdi
-rw------- 1 eriberto eriberto 4,1G Jun 14  2011 Debian Squeeze.vdi
-rw------- 1 eriberto eriberto 6,0G Mar  2 08:13 Debian Wheezy.vdi
-rw------- 1 eriberto eriberto  30G Mai 22 10:55 Win7-30GB.vdi
  • A seguir, considerando que você queira ampliar o HD para 60 GB, que equivale a 61440 MB, emita o comando:
$ VBoxManage modifyhd /home/eriberto/.VirtualBox/VDI/Win7-30GB.vdi --resize 61440
  • Com o procedimento anterior, passaremos a ter uma área de disco extra. Observe que o comando ls não mostrará isso caso você tenha criado uma imagem de disco dinamicamente expansível. Veja:
eriberto@libra:~/.VirtualBox/VDI$ ls -lh Win*

-rw------- 1 eriberto eriberto 30G Mai 22 08:52 Win7-30GB.bak.vdi
-rw------- 1 eriberto eriberto 30G Mai 22 10:58 Win7-30GB.vdi
  • O último passo será expandir o filesystem dentro do novo HD. Para tanto, inicialize a máquina virtual e, dentro da mesma, utilize um dos seguintes métodos:
    • Nos GNU/Linux, para expandir em ambiente gráfico, use o GParted (# apt-get install gparted no Debian).
    • Nos GNU/Linux, para expandir em ambiente texto, use o Parted (# apt-get install parted no Debian).
    • No Windows 7 (e talvez Vista) você poderá utilizar um utilitário nativo. Para acessá-lo, clique no menu Iniciar e na área de pesquisa, digite partições. Clique em Criar e formatar partições do disco rígido (opção que será mostrada).
    • Em Windows mais antigos é possível expandir os filesystems com o programa EaseUS Partition Master Home. Por favor, fiquem à vontade para indicar outros programas similares nos comentários deste post.

Teste

O último passo será testar o novo HD. Para isso, verifique, dentro da máquina virtual, o seu tamanho final e reinicialize o sistema para ver como o mesmo reage.

 



nm-tool

17 de Maio de 2012, 0:00, por Software Livre Brasil - 0sem comentários ainda


As configurações de rede de uma máquina Linux podem parecer complexas em um primeiro momento, mas quando nos aproximamos das configurações e identificamos o problema, percebemos que as soluções são simples e elegante. Por exemplo, identifiquei uma máquina cujas configurações de rede foram colocadas manualmente no arquivo /etc/netword/interfaces. Sem qualquer problema para acesso internet via browser ou testes de ping, tudo ok e funcional. No entanto, alguns aplicativos, como o evolution [1] ou pidgin [2] somente se conectavam quando utilizando a opção --force-online (evolution --force-online , pidgin --force-online). Então o diagnóstico éra simples: a maquina estava configurada corretamente, encontrava internet pelos testes de ping e navegação, mas alguns aplicativos não localizava rede para estabelecer a conexão. 

Solução:

No caso do Linux, este problema acontece porque o NetworkManager reporta a rede como não disponível (ou unavailable). Isto acontece porque o arquivo de configuração /etc/NetworkManager/NetworkManager.conf está com a entrada managed=false, como no exemplo abaixo:

[main]
plugins=ifupdown,keyfile


[ifupdown]
managed=false

Com a configuração do NetworkManager desta forma, temos a seguinte informação com saída do comando nm-tool:

#nm-tool
nm-tool
saída do comando nm-tool

Identificado este ponto da configuração, podemos alterar o arquivo/etc/NetworkManager/NetworkManager.conf managed=false, para managed=true. Após restartar o network-manager (# /etc/init.d/network-manager restart), podemos observar a nova saída do comando nm-tool:

[main]
plugins=ifupdown,keyfile


[ifupdown]
managed=true

nm-tool
saída do comando nm-tool com a opção managed=true
Assim, para os aplicativos que "olham" para o status da rede, a solução está definida. Observe o State e as demais informarmções, como a presença do ip, gateway e DNS.

Observações: além do nm-tool, temos também o nmcli  e nm-online que tem as seguintes funções:

nmcli
#nmcli            -> mostra as opções
#nmcli nm      -> lê e apresenta o estado das configurações de rede
#nmcli con     -> lê e apresenta as redes presentes no diretório /etc/NetworkManager/system-connections
#nmcli dev     -> lê e apresenta o estado das configurações e atividade da rede (similar ao nmcli nm, mas em coluna)

nm-online
#nm-online
A função desta ferramenta é checar o status da rede quando online, perguntando ao NetworkManager seu estado de conexão. Pode ser útil, por exemplo, em scripts que precisem exatidão quanto a disponibilidade de rede para troca de dados por exemplo. O resultado do nm-online é 0 para sucesso (online) ou 1 para erro de rede (offline). 
Para saber o resultado de um comando, neste caso o nm-online, podemos usar o echo $?, e colocar este resultado em um teste dentro de um shell script, por exemplo.

 nm-online | echo $?
0

Referências:
[1] evolution  -  groupware suite for GNOME containing e-mail, calendar, addressbook, to-do list and memo tools
[2] pidgin -  pidgin - Instant Messaging client
man NetworkManager
man nm-tool
man nmcli
man nm-online